Skip to the main content.
7 Melhores Países Onde O Dinheiro Reina

6 minutos de leitura

7 Melhores Países Onde O Dinheiro Reina

Numa era dominada por pagamentos digitais e tecnologias emergentes, a utilização de numerário enfrenta forte oposição de governos e outras instituições internacionais. 

Apesar da narrativa de uma luta contra atividades ilegais como o branqueamento de capitais e a evasão fiscal, existe uma intenção obscura de maior controlo e vigilância sobre a vida das pessoas. 

O Fórum Económico Mundial quer restringir direitos fundamentais, como a posse de propriedade privada. Mas isso não é tudo. 

Outro de seus principais objetivos é que você não tenha privacidade. Os pagamentos digitais podem ser convenientes, mas o dinheiro continua a ser uma opção fiável e essencial, agindo como um escudo contra os tecnocratas e oferecendo inúmeras outras vantagens, tais como: 

  • Imunidade a ameaças cibernéticas, hackers ou falhas tecnológicas;

  • Privacidade em um mundo crescente de fraudes e coleta de dados;

  • Tangibilidade e compreensibilidade imediata;

  • Resiliência em tempos de crise (desastres naturais, agitação política, cortes de energia).

E esses são apenas um subconjunto de todos os benefícios. Enquanto o mundo ocidental promove narrativas e políticas anti-dinheiro, alguns países utilizam firmemente o dinheiro para uma parte significativa das suas transações. Se você está preocupado com sua privacidade e deseja se proteger contra a crescente influência dos poderes tecnocráticos, aqui está uma lista de países onde o dinheiro ainda é amplamente utilizado como forma de pagamento.

 

Lefkada, Grécia

Lefkada, Grécia

7 - GRÉCIA

O número 7 da nossa lista é a Grécia, que, apesar de pertencer à UE e à zona euro, ainda é uma sociedade que prefere o dinheiro a outros modos de pagamento. Aliás, segundo um relatório pelo próprio BCE, 56% dos gregos pagam a sua conta de eletricidade em dinheiro. Embora as empresas sejam obrigadas por lei a ter uma máquina POS, assim como no Brasil, você pode encontrar melhores ofertas e descontos se pagar em dinheiro.

A Grécia não é apenas um destino turístico famoso, principalmente graças à cidade de Atenas, ilhas como Mykonos e um clima mediterrâneo atraente e excelente culinária, mas também é um país surpreendentemente acessível. O salário mínimo é de 910 euros (967 dólares) e, como forma de combater a crise económica em curso e a dívida astronómica, o país lançou o seu próprio programa de "Golden Visa"

A utilização extensiva de dinheiro pode ser incentivada pelas rigorosas regulamentações laborais, que levam algumas empresas e trabalhadores a operar informalmente, bem como pela presença de uma economia informal significativa no país. Por vezes, os gregos envolvem-se em trabalho informal para complementar o seu rendimento ou evitar impostos. Outro país com situação semelhante é a Espanha. Finalmente, razões como preocupações de segurança e uma preferência pela privacidade financeira contribuem para o uso alargado do dinheiro, mesmo entre os jovens.

 

Cidade de Oradea, Romênia

Cidade de Oradea, Romênia

6 - ROMÊNIA

O número 6 é a Roménia, que é outro membro da UE, mas tem a sua própria moeda, o leu romeno. Quase 80% dos pagamentos são efetuados em dinheiro e apenas 42% dos adultos possuem uma conta bancária, o que torna a Roménia um país muito dependente de dinheiro e um bastião da privacidade financeira numa Europa cada vez mais tecnocrática e potencialmente sem dinheiro. 

A utilização e aceitação de numerário têm sido uma componente central do sistema financeiro do país durante muitos anos, apesar da mudança gradual para métodos de pagamento digitais. Muitos romenos ainda consideram o dinheiro o rei e preferem carregá-lo para as despesas diárias.

Algumas razões pelas quais os romenos preferem dinheiro são hábitos culturais, uma sensação de segurança e anonimato nas transações. Na verdade, pessoas de várias idades estão habituadas a realizar as suas transacções, especialmente entre as gerações mais velhas e as pessoas das zonas rurais.

Além disso, de acordo com a Merchant Machine, existem aproximadamente 64 caixas eletrônicos disponíveis para cada 1.000 adultos. Estas estatísticas indicam a falta de opções alternativas de pagamento que necessitam de uma conta bancária, mas também destacam o fato de um número significativo de indivíduos que poderiam utilizar cartões ou pagamentos eletrônicos estar a optar por transações em dinheiro.

 

Cairo, Egito

Cairo, Egito

5 - EGITO

Agora, vamos nos concentrar no Norte da África para encontrar o número 5 da nossa lista, o Egito. Este país tem uma longa tradição de uso de dinheiro nas transações diárias, enquanto os pagamentos digitais, e muito menos os cartões de crédito e débito, simplesmente não são acessíveis porque cerca de 67% das pessoas não têm conta bancária e dependem principalmente de dinheiro, de acordo com um relatório do Banco Mundial. O dinheiro é visto como uma representação tangível de riqueza e segurança financeira, oferecendo aos egípcios uma sensação de fiabilidade e controlo. 

As pequenas empresas, os vendedores ambulantes, os mercados locais e os sectores informais dependem fortemente de transações em numerário. Isto é especialmente verdadeiro em áreas com infraestruturas bancárias formais deficientes, como regiões rurais e segmentos de rendimentos mais baixos. O dinheiro atua como um meio prático e acessível de realizar transações cotidianas nessas áreas, preenchendo a lacuna entre as economias formal e informal.

O elevado número de egípcios sem conta bancária também contribuiu para o uso extensivo de dinheiro. A falta de acesso a serviços bancários formais e pagamentos digitais leva as pessoas e diversas empresas a realizar transações em dinheiro. Além disso, o dinheiro ajuda pequenos fornecedores e comerciantes a superar as regulamentações formais e a manter a privacidade deles e de seus clientes. 

 

Lago Titicaca, Copacabana, Bolívia

Lago Titicaca, Copacabana, Bolívia

4 - BOLÍVIA

A Bolívia, um país sul-americano sem litoral, chega ao quarto lugar. Apesar de ser um país em desenvolvimento com cerca de 90% da sua força de trabalho na economia informal e sem seguro de saúde, a Bolívia surpreendeu-nos com protestos (artigo em espanhol) contra medidas tecnocráticas como passaportes de vacina. Com um baixo custo de vida e um salário mínimo de cerca de US$ 325, a Bolívia pode ser um destino atraente para expatriados. 

De acordo com um relatório de 2018 publicado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), a Bolívia tem a maior economia informal do mundo, respondendo por 62,3% de sua economia total. 

Portanto, a economia informal é crucial para o panorama económico da Bolívia. Vários pequenos negócios, vendedores ambulantes e mercados informais operam em regime de caixa.

A infra-estrutura bancária limitada mantém muitos cidadãos bolivianos sem conta bancária, pelo que muitos bolivianos são levados a recorrer ao dinheiro para as transacções diárias. O dinheiro ajuda a participar do comércio, apoiar negócios locais e realizar transações.

Os métodos alternativos de pagamento ainda não são amplamente adotados pelos bolivianos, que estão acostumados a usar dinheiro para fazer pagamentos e receber fundos. Portanto, você pode ter certeza de que sua privacidade financeira estará bem protegida neste belo país sem litoral.

 

Essaouira, Marrocos

Essaouira, Marrocos

3 - MARROCOS

Agora, de volta ao Norte de África, encontramos o número 3 da lista, Marrocos. De acordo com um relatório realizado por Merchant Machine, 74% de todos os pagamentos são realizados em dinheiro, apenas 29% da população possui conta bancária e o uso de cartões de crédito é quase inexistente. O banco central do país, Banco Al-Maghrib, introduziu um serviço móvel de pagamento e transferência de dinheiro em 2018, que opera através de um sistema de carteira eletrônica vinculado aos números de telefone dos usuários. 

No entanto, muitas pequenas empresas, vendedores ambulantes e mercados informais operam predominantemente com base em dinheiro, permitindo aos comerciantes ganhar dinheiro apesar da falta de recursos e infraestruturas para realizar pagamentos digitais. Além disso, graças ao amplo uso de dinheiro, os marroquinos podem participar no comércio, realizar transações, apoiar as empresas locais e participar na economia do país.

 

Ponte Estaiada em São Paulo, Brasil

Ponte Estaiada em São Paulo, Brasil

2 - BRASIL

Voltando à América do Sul, o número 2 da nossa lista é o Brasil. Com uma população de mais de 210 milhões de habitantes, cerca de 55 milhões de adultos continuam sem conta bancária e a economia informal é enorme neste país. O Brasil é um país vibrante e diversificado na América do Sul e é o país com o maior PIB da região da América Latina e Caribe. Apesar dos avanços tecnológicos em todo o mundo, o dinheiro desempenha um papel crucial na economia do Brasil, mesmo com empresas que oferecem vendas mediante pagamento em dinheiro.

O dinheiro é a forma de pagamento preferida no Brasil, seguido por cheques, cartões de crédito e débito. O dinheiro físico dá aos brasileiros uma sensação de segurança e privacidade e os ajuda a administrar seus gastos e a assumir o controle de suas finanças. Além disso, não podemos negligenciar o aspecto cultural. As transações em dinheiro são parte integrante da vida diária e do cenário comercial do Brasil. Muitas empresas locais, pequenos estabelecimentos e vendedores ambulantes aceitam principalmente dinheiro. 

O Brasil pode adotar algumas tecnologias para facilitar o acesso a pagamentos bancários e digitais, mas é evidente que o dinheiro continua a manter a sua posição como uma parte crucial da cultura de pagamentos do Brasil.

 

Puerto Vallarta, México

Puerto Vallarta, México

1 - MÉXICO 

E finalmente, no número 1, podemos encontrar o México. Apesar dos esforços do governo para diminuir o uso de dinheiro, cerca de 78% dos mexicanos com mais de 18 anos usam dinheiro para pagamentos superiores a 501 pesos. Nas compras abaixo de 500 pesos, 90,1% dos pagamentos são realizados em moedas e notas, o que mostra como o dinheiro está arraigado na sociedade mexicana. 

Na verdade, segundo um artigo do El Economista, grande parte da população acostumada a usar dinheiro o faz por considerá-lo mais prático, fácil ou rápido. Numa proporção menor, as pessoas utilizam dinheiro porque é a sua única forma de pagamento, porque acreditam que é mais seguro, ou porque algumas empresas por vezes não aceitam cartões. Como você pode ver, faltam infraestruturas bancárias e de pagamento no México, o que torna este país um bastião da privacidade financeira. 

Tal como muitos países desta lista, a economia informal prevalece. As empresas informais, os vendedores ambulantes e os mercados locais dependem do dinheiro. Com a intenção de lutar contra o branqueamento de capitais e a evasão fiscal, o México introduziu um imposto de 3% sobre as transações financeiras bancárias, mas, na realidade, as receitas fiscais permaneceram as mesmas. Os incentivos fiscais para a utilização de dinheiro digital são escassos ou nulos, pelo que o dinheiro continua a ser um meio para permitir que indivíduos não bancarizados participem em atividades económicas e tenham acesso a bens e serviços. 

Este uso extensivo de dinheiro, bem como a beleza, a comida e as pessoas do país, fazem do México um excelente destino para expatriados. É por isso que elaboramos um livro de 477 páginas para ajudar expatriados como você a se mudarem para o México e se beneficiarem de tudo o que ele oferece. 

 

O dinheiro é um dos métodos de pagamento mais seguros que existem

O dinheiro é um dos métodos de pagamento mais seguros que existem

PENSAMENTOS FINAIS

Em conclusão, apesar do rápido aumento das tecnologias de pagamento digital e até mesmo das narrativas anti-dinheiro, o dinheiro continua a ser um elemento principal nas economias de vários países em todo o mundo. Das preferências culturais aos serviços bancários limitados e à forte presença da informalidade, o dinheiro é o modo de pagamento preferido em regiões como a América Latina, África e até a Europa. 

O dinheiro é um grande escudo contra os tecnocratas que desejam eliminar a privacidade e confiscar fundos por razões ideológicas. Se você deseja proteger sua privacidade financeira e se beneficiar de um estilo de vida de expatriado de alto nível, considere mudar-se para um dos países da lista. 

Se você também está preocupado com seu sigilo digital e com a prevenção de que seu telefone espione você, confira o "Above Phone" e ganhe US$ 50 de desconto em sua compra. 

 

Relatório de Proteção Offshore


TRABALHE COMIGO

Ajudo meus clientes a se mudarem para o exterior em busca de liberdade, privacidade e autonomia, focando nas questões de imigração, legalidade e impostos que você enfrentará ao se tornar um expatriado. Se você deseja trabalhar individualmente comigo para sair do seu país de origem (ou estabelecer um local de Plano B), então leia esta importante carta e preencha um formulário de inscrição para se tornar um Cliente Privado. Meus honorários não são baratos; no entanto, posso garantir que, quando você trabalha com uma empresa profissional como a nossa, os resultados valerão a pena.

 

MELHORES DO MUNDO EXPATRIADO

Se você deseja obter as melhores informações do mundo expatriado, incluindo oportunidades lucrativas no exterior, estratégias pouco conhecidas para economizar impostos e insights valiosos sobre imigração, passaportes e residências de Plano B, tudo entregue em sua caixa de entrada todas as semanas, então junte-se à nossa correspondência diária, EMS Pulse. Atualmente apreciada por mais de 37.000 expatriados e futuros expatriados em todo o mundo. Preencha o formulário abaixo para se inscrever em nosso boletim informativo gratuito:

 

Mikkel Thorup

Written by Mikkel Thorup

Mikkel Thorup é o consultor expatriado mais procurado do mundo. Ele concentra-se em ajudar clientes privados de alta rede a mitigar legalmente as obrigações fiscais, obter uma segunda residência e cidadania, e reunir uma carteira de investimentos estrangeiros, incluindo bens imobiliários internacionais, plantações de madeira, terrenos agrícolas e outros ativos corpóreos de dinheiro vivo. Mikkel é o Fundador e CEO da Expat Money®, uma empresa privada de consultoria iniciada em 2017. Ele acolhe o popular podcast semanal, o Expat Money Show, e escreveu o #1 Best Seller Expat Secrets - How To Pay Zero Taxes, Live Overseas And Make Giant Piles Of Money.

Recent Posts

O Guia Definitivo Para Obter Residência No Paraguai: Tudo O Que Os Expatriados Precisam Saber

O Guia Definitivo Para Obter Residência No Paraguai: Tudo O Que Os Expatriados Precisam Saber

Ao procurar um lugar para se mudar ou até mesmo uma segunda residência, você pode querer um lugar com clima mais quente, custo de vida acessível e...

Continue Reading
Preparando-se Para O Impacto: Navegando Na Quebra Do Mercado De Ações Em 2024

Preparando-se Para O Impacto: Navegando Na Quebra Do Mercado De Ações Em 2024

Você já se sentiu como se estivesse observando as nuvens se juntando, sabendo que uma tempestade estava prestes a cair? É assim que muitos de nós...

Continue Reading
O Roteiro Do Expatriado Para A Cidadania Croata Por Naturalização

O Roteiro Do Expatriado Para A Cidadania Croata Por Naturalização

A Croácia é mais do que apenas um destino turístico conhecido pelas suas belas paisagens, praias imaculadas e cultura familiar. Pode também ser um...

Continue Reading