Skip to the main content.
O Que São As Leis Da Sharia E Como Elas Afetam Os Expatriados?

6 minutos de leitura

O Que São As Leis Da Sharia E Como Elas Afetam Os Expatriados?

Se você planeja garantir sua nova vida no exterior, seja para desfrutar de mais liberdade ou para manter sua riqueza fora do alcance de políticos gananciosos. É provável que você encontre países como Emirados Árabes Unidos, Catar, Bahrein ou Arábia Saudita. Além disso, se você pesquisar sobre os expatriados, verá muitos indo para Bali, na Indonésia. Estes são países de maioria muçulmana com um sistema de leis chamado Sharia, que significa “o caminho correto” em árabe. A definição literal seria “uma vasta estrada que leva a uma fonte ininterrupta de água”. Isso se refere a alguns versículos do Alcorão, como 9:72, “Deus prometeu aos crentes, homens e mulheres, jardins através dos quais correm águas correntes, para neles habitar, e boas moradas em jardins de felicidade perpétua: mas a boa aceitação de Deus é a maior [felicidade de todas] - para isso, este é o triunfo supremo.”


Este artigo lhe dará uma ideia ampla do que é a Lei Sharia, algumas de suas características, países que a praticam e como é a vida em alguns países da Sharia.

 

 

Torre Petronas, Kuala Lumpur Malásia

 

 

 

 

 

 

 

 

Torre Petronas, Kuala Lumpur Malásia

Qual é a base da Lei da Sharia?

A Lei Sharia é baseada no Alcorão, que os muçulmanos consideram a palavra de Deus, e no hadith, que é um compêndio de ditos e práticas, a sunnah, atribuída ao profeta Maomé. De acordo com os muçulmanos, o Profeta é o modelo não apenas para os muçulmanos, mas para a humanidade como um todo, então a Lei da Sharia é uma espécie de lei divina destinada a promover a justiça e ajudar os humanos a viver uma vida justa que lhes garanta o paraíso. Sharia vai além da lei, pois toca até mesmo práticas pessoais como jejum, oração, finanças e caridade. No entanto, é importante distinguir claramente entre o Islã e a Sharia. O Islã é uma religião e não deve ser imposta às pessoas (Quran 2:256), Considerando que a Sharia é um sistema legal que deve ser aplicado. Na realidade, não se resume a um sistema legal como o "Civil Law" ou o "Common Law"; em vez disso, pretende ser um código de conduta. Na realidade, nenhum país muçulmano no mundo de hoje implementa a Lei da Sharia na íntegra. Basta considerar que não existe uma forma única de Lei da Sharia, e os muçulmanos não são obrigados a seguir nenhum dos vários códigos.

 

 

Mortuário Hathseput no Egito

Mortuário Hathseput no Egito

As cinco classificações da lei Sharia

A lei Sharia usa cinco classificações para todas as ações humanas. Estes são: obrigatórios, recomendados, permitidos, odiados e proibidos. Às vezes, elas podem ser chamadas de “as cinco decisões”.

  • Farḍ (ou farīḍah ou fardh, às vezes wajib): Essas são as ações obrigatórias ou mandatórias. Essas leis da Sharia determinam o que se deve fazer e descrevem o que não se deve fazer. Essas leis também têm dois subtipos de deveres individuais, que incluirão coisas como quando a oração diária é feita pelo indivíduo e deveres comunitários, que incluem coisas como funerais em que a participação de indivíduos não é obrigatória, mas a tarefa deve ser concluída.

  • Mustahabb: Essas são as ações recomendadas que não são obrigatórias, mas podem ser espiritualmente benéficas (neste mundo ou no próximo). Essas leis da Sharia são abundantes e variam de uma simples saudação a doações voluntárias de caridade.

  • Mubah: Esta é a maior classificação de ações e leis. O Mubah é a ação neutra sem consequências, sejam boas ou más, de Deus tornando essas ações “você é livre para escolher” na lei da sharia.

  • Makruh: Estes são desprezados e malvistos, mas não proibidos. Essas ações não trazem punição, mas você será recompensado por não fazê-las. Os atos Makruh incluem comer alho antes de ir à mesquita, xingar ou abater um animal para comer na frente de outros animais da mesma espécie.

  • Haram: Essas ações são proibidas por Deus, geralmente no Alcorão, e são consideradas pecaminosas. Você nunca deve praticar atos Haram, mesmo por uma causa honrosa. Estas Leis da Sharia estão sujeitas a interpretação e variam de lugar para lugar.

 

 

Big Ben à noite em Londres, Reino Unido

Big Ben à noite em Londres, Reino Unido

Quais são as implicações da lei Sharia para os expatriados?

Se você é um expatriado ocidental, aprender um pouco sobre essa Lei é uma boa ideia para evitar problemas, equívocos e choques culturais. No entanto, lembre-se de que, por exemplo, nos Emirados Árabes Unidos, você pode solicitar a aplicação da lei do seu país de origem se não for muçulmano e não nacional. Nesse caso, as leis estrangeiras em questão devem ser traduzidas para o árabe e, então, as chances são de que o significado original se perca. Consequentemente, é uma boa ideia pesquisar as leis locais e respeitar a cultura do país antes de se mudar. Vamos discutir alguns aspectos da vida e das finanças que você deve considerar.

 

Drogas

O Alcorão afirma claramente que o consumo de drogas (recreativas) é proibido, incluindo álcool. Como resultado, a compra, consumo, tráfico e distribuição de drogas não são permitidos. Nos Emirados Árabes Unidos, antigamente, moradores com permissão especial podiam comprar álcool em restaurantes e bares de hotéis. No entanto, hoje em dia, os expatriados não precisam de licença para beber em hotéis ou comprar em lojas. Se você está se perguntando o que a Lei Sharia tem a dizer sobre o THC (o principal ingrediente da Cannabis, uma indústria em expansão nos dias de hoje), também varia de país para país. Por exemplo, é ilegal no Catar, enquanto nos Emirados Árabes Unidos, você não enfrentará penas de prisão por transportar produtos à base de Cannabis.

Em alguns casos, você pode ter que pagar uma multa e ter o produto confiscado. No entanto, as leis contra o uso de outras drogas e o próprio tráfico de drogas são rígidas. As penas para delitos de drogas chegam a 50.000 Dirhams (mais de US$ 13.000), e as sentenças de prisão são de pelo menos cinco anos. Se você precisar levar algum medicamento prescrito, certifique-se de trazer a documentação adequada, como uma tradução da receita e uma carta do seu médico. Caso contrário, você pode ser deportado e ter o acesso proibido ao país. Dito isto, se você ainda quiser tomar algumas bebidas, poderá obter bebidas alcoólicas em algumas lojas específicas. Os turistas podem comprar álcool em determinadas lojas apresentando seus passaportes, mas só podem beber em suas residências.

 

Alguns aspectos culturais: vestimentas e demonstrações públicas de afeto

Embora os muçulmanos sejam conhecidos por sua interpretação estrita das escrituras, incluindo relações sexuais antes do casamento e até mesmo contato físico com o sexo oposto, em alguns países que seguem a Sharia, é aceitável segurar a mão do seu parceiro. É preferível ser modesto ao se vestir porque essa é outra diretriz do Alcorão. Não só as mulheres devem usar o hijab, mas também os homens devem se vestir modestamente. Se você estiver visitando Dubai ou Abu Dhabi, é provável que desfrute de mais flexibilidade e abertura, mas em outros Emirados, os habitantes locais não estão acostumados com roupas estrangeiras. No entanto, em países como Marrocos ou Indonésia, há uma forte influência ocidental e as autoridades locais não o denunciarão por não usar roupas islâmicas. Novamente, por favor, primeiro pesquise a região que você visitará para entender melhor a cultura local e evitar mal-entendidos. Por exemplo, na Indonésia, há uma grande diferença entre Bali, um centro de expatriados de renome mundial, e Aceh, uma província mais rigorosa da lei Sharia.

 

Segurança e fé

Novamente, varia de lugar para lugar. Por exemplo, a Arábia Saudita é um país com quase nenhuma taxa de criminalidade e, de fato, é um dos países mais seguros da Terra. O Catar também é um excelente lugar para expatriados e turistas em termos de segurança. No entanto, Casablanca, uma grande cidade marroquina, é considerada uma das cidades mais perigosas, e há casos relatados de gangues usando facas e até espadas. Em relação a outras religiões, países como Emirados Árabes Unidos, Indonésia e Catar permitem que não-muçulmanos tenham seus locais de culto.

 

Finanças, impostos e negócios

Este artigo não pretende ensinar profundamente como as finanças islâmicas funcionam, mas aqui estão algumas ideias importantes a serem consideradas. Em primeiro lugar, a usura (em árabe riba) é estritamente proibida. Por exemplo, você não pode esperar receber seu dinheiro de volta mais juros emprestando dinheiro a alguém. Ganhar dinheiro com dinheiro também é proibido, pois o dinheiro deve ser empregado de forma produtiva. Em outras palavras, o dinheiro não é considerado uma mercadoria. Se você deseja iniciar um negócio em um país de acordo com a Sharia, não pode praticar atividades ilegais (haram), como jogos de azar, especulação ou venda de tabaco.

Quando se trata de impostos, você pode encontrar países como Emirados Árabes Unidos ou Catar, onde não há imposto de renda e países como a Indonésia, onde o imposto de renda é de até 35%. O imposto corporativo tende a ser bastante modesto nos países muçulmanos do Golfo, mas o Catar cobra um imposto de 35% sobre as empresas de petróleo e gás. No geral, alguns países da Lei Sharia são ótimos para freelancers ou nômades digitais.

 

Conteúdo relacionado: O Básico De Como Obter Um Segundo Passaporte Ou Uma Segunda Residência

 

Países com Lei Sharia

Abaixo está uma lista de países que aplicam a Lei Sharia. Alguns países nesta lista não têm a Lei Sharia em seu sistema legal, mas oferecem suporte para os praticantes da mesma. Você também pode verificar se eles aplicam a Sharia tradicional, mista ou somente muçulmana, clicando aqui.

Afghanistan

Algeria

Bahrain

Bangladesh

Brunei

Comoros

Djibouti

Egypt

Eritrea

Ethiopia

Gambia

Ghana

India

Indonesia

Iran

Iraq

Israel

Jordan

Kenya

Kuwait

Lebanon

Libya

Malaysia

Maldives

Mali

Mauritania

Morocco

Myanmar

Nigeria

Oman

Pakistan

Palestine

Philippines

Qatar

Saudi Arabia

Singapore

Somalia

Sri Lanka

Sudan

Syria

Tanzania

Thailand

Uganda

United Arab Emirates

United Kingdom

Yemen

   

 

 

Monumento de bem-vindo em Jacarta, Indonésia

Monumento de bem-vindo em Jacarta, Indonésia

conclusão

Se você não é muçulmano, mas planeja se mudar para uma jurisdição da Lei da Sharia, é uma boa política estudá-la e entendê-la juntamente com suas normas e tradições culturais. Como mencionei, nenhum país do mundo aplica a totalidade da Lei da Sharia. Por exemplo, você pode criar um Trust no Catar ou encontrar algumas leis civis no Marrocos. De fato, em muitos casos, a história da colonização desempenha um papel relevante na regulamentação de cada país.

As leis da Sharia tendem a ser rígidas com punições severas, e às vezes acontece com ocidentais que visitam países da Sharia que acidentalmente fazem algo que pode levá-los à prisão ou pior. Você pode ir tão longe a ponto de dizer que a Lei Sharia é vista como “a lei de Deus para os humanos”, então seria um ato de respeito aprender sobre isso antes de visitar países que praticam a Sharia. Como os costumes e a vida pessoal podem ser afetados por eles, às vezes alguns hábitos que temos não são legais em outros países.

 

Relatório de Proteção Offshore


TRABALHE COMIGO

Ajudo meus clientes a se mudarem para o exterior em busca de liberdade, privacidade e autonomia, focando nas questões de imigração, legalidade e impostos que você enfrentará ao se tornar um expatriado. Se você deseja trabalhar individualmente comigo para sair do seu país de origem (ou estabelecer um local de Plano B), então leia esta importante carta e preencha um formulário de inscrição para se tornar um Cliente Privado. Meus honorários não são baratos; no entanto, posso garantir que, quando você trabalha com uma empresa profissional como a nossa, os resultados valerão a pena.

 

MELHORES DO MUNDO EXPATRIADO

Se você deseja obter as melhores informações do mundo expatriado, incluindo oportunidades lucrativas no exterior, estratégias pouco conhecidas para economizar impostos e insights valiosos sobre imigração, passaportes e residências de Plano B, tudo entregue em sua caixa de entrada todas as semanas, então junte-se à nossa correspondência diária, EMS Pulse. Atualmente apreciada por mais de 37.000 expatriados e futuros expatriados em todo o mundo. Preencha o formulário abaixo para se inscrever em nosso boletim informativo gratuito:

 

Mikkel Thorup

Written by Mikkel Thorup

Mikkel Thorup é o consultor expatriado mais procurado do mundo. Ele concentra-se em ajudar clientes privados de alta rede a mitigar legalmente as obrigações fiscais, obter uma segunda residência e cidadania, e reunir uma carteira de investimentos estrangeiros, incluindo bens imobiliários internacionais, plantações de madeira, terrenos agrícolas e outros ativos corpóreos de dinheiro vivo. Mikkel é o Fundador e CEO da Expat Money®, uma empresa privada de consultoria iniciada em 2017. Ele acolhe o popular podcast semanal, o Expat Money Show, e escreveu o #1 Best Seller Expat Secrets - How To Pay Zero Taxes, Live Overseas And Make Giant Piles Of Money.

Recent Posts

Visto De Investidor Qualificado Para O Panamá: Obtenha O Seu Antes Que Seja Tarde Demais

Visto De Investidor Qualificado Para O Panamá: Obtenha O Seu Antes Que Seja Tarde Demais

O Panamá se posicionou como um dos destinos de expatriados mais promissores do mundo. Graças aos baixos impostos, ao bom tempo e até ao canal, muitos...

Continue Reading
Por Que Todo Profissional Médico Precisa De Uma Conta Bancária Offshore Para Proteger Seus Ativos

Por Que Todo Profissional Médico Precisa De Uma Conta Bancária Offshore Para Proteger Seus Ativos

Profissionais médicos como doutores, cirurgiões e enfermeiros enfrentam imensa pressão todos os dias. Após anos de estudo incansável, eles alcançam...

Continue Reading
Documentos Canadenses Ganham Impulso No Exterior: Chega A Convenção De Apostilamento

Documentos Canadenses Ganham Impulso No Exterior: Chega A Convenção De Apostilamento

Os canadenses que desejam usar documentos oficiais no exterior acabaram de receber boas notícias. Em 11 de janeiro de 2024, o Canadá aderiu à...

Continue Reading