Skip to the main content.
Panamá Pacífico E A Zona Franca De Comércio De Colón

4 minutos de leitura

Panamá Pacífico E A Zona Franca De Comércio De Colón

Panamá Pacífico e a Zona Franca de Comércio de Colón são regiões econômicas especiais dentro do Panamá que desfrutam de status fiscal favorável a fim de incentivar o comércio exterior e o comércio dentro da região.

Sua criação faz parte da estratégia contínua do governo panamenho para transformar sua nação estrategicamente localizada em um centro logístico principal para a importação e exportação de mercadorias em todo o mundo. Seus esforços deram frutos, com o Panamá experimentando um crescimento econômico médio de 7% entre 2001 e 2013, e resultados ligeiramente decrescentes, mas ainda fortes, nos anos seguintes até a pandemia da Covid 19.

Panamá Pacífico e a Zona Franca de Comércio de Colón são duas plataformas cruciais que impulsionam o comércio e os negócios no Panamá. Localizadas estrategicamente, desempenham papéis específicos, cada uma contribuindo para o dinamismo econômico do país.

Na Província de Colón, a Zona Franca de Comércio se destaca como um centro vital para diferentes tipos de negócios. Sua localização próxima ao Canal do Panamá facilita o transporte eficiente de mercadorias, tornando-a uma escolha estratégica para empresas que buscam simplificar os processos logísticos.

O Canal do Panamá, por sua vez, atua como uma via de transporte crucial, conectando o comércio global e facilitando a compra e venda de mercadorias. Sua presença é um fator-chave no valor que o Panamá oferece como uma plataforma comercial internacional.

 

A ZONA FRANCA DE COMÉRCIO DE COLÓN

A Zona Franca de Comércio de Colón, com 600 acres de extensão, é o segundo maior porto livre do mundo. Fundada em 1948, as empresas que operam dentro da Zona Franca de Colón não precisam pagar nenhum imposto sobre a renda obtida com as atividades dentro da zona, e os produtos que são importados ou exportados para lá não estão sujeitos a tarifas, quotas ou outras restrições. Assim, esta área se tornou um centro maciço para a importação de bens para países próximos de todo o mundo e para a exportação de bens de países próximos para a Ásia, Europa e outros mercados estrangeiros.

2021, com os efeitos da pandemia da COVID 19 e a resposta do governo ainda perdurando, viu apenas nove bilhões de dólares de mercadorias sendo importadas e nove bilhões de dólares de mercadorias sendo reexportadas da Zona Franca de Cólon. Isto é muito inferior ao máximo de dezesseis bilhões em reexportações e doze bilhões em importações em 2011. Este declínio pode ser atribuído aos problemas econômicos na Venezuela e às tarifas impostas pela Colômbia, historicamente dois dos maiores importadores de mercadorias através da Zona Franca de Comércio de Colón.

Há muitas vantagens em fazer negócios com uma zona de livre comércio. Você não só pode evitar o pagamento de impostos ou tarifas sobre mercadorias que está importando ou exportando, mas também pode evitar o incômodo das inspeções alfandegárias e lidar com a burocracia que isso implica. Mais de 3000 empresas fazem negócios dentro da Zona Franca de Comércio de Colón, empregando mais de 30.000 trabalhadores.

Embora um amplo grau de latitude seja dado às empresas que operam dentro da Zona Franca de Comércio de Cólon, não é uma zona livre para todos. As atividades comerciais dentro da região são limitadas à importação, exportação e reexportação de mercadorias, bem como à fabricação, venda e distribuição, processamento e atividades que são incidentais para operar dentro da Zona Franca. Também são necessárias autorizações de operação. 

Um dos principais focos da Zona Franca de Comércio de Colón é a exportação de bens de consumo dos Estados Unidos para a América Latina, incluindo mas não se limitando à Colômbia, Equador e República Dominicana. Ainda assim, a China e Hong Kong são os agentes dominantes, com quotas de mercado de 27% e 19% respectivamente de bens importados pelos países da América Central e do Sul através da Zona Franca de Comércio de Colón. Os Estados Unidos representam apenas 9% do mercado.

 

Artigo relacionado: O Básico de Como Obter um Segundo Passaporte ou uma Segunda Residência

  

mapa do Panama - Colón, como cidade, desempenha um papel central nesse cenário. É um hub onde os pagamentos são processados e os trâmites comerciais são conduzidos de maneira eficiente. A cidade não é apenas um ponto de comércio, mas também um destino turístico, oferecendo tours que proporcionam uma visão fascinante dos processos comerciais e logísticos em andamento.

Mapa do Panamá

PANAMÁ PACÍFICO

Panamá Pacífico, por outro lado, é uma área de desenvolvimento que se tornou um ícone de inovação e negócios no país. Oferece uma variedade de serviços e instalações para empresas, incentivando a diversificação de setores comerciais. É um exemplo de como o Panamá continua a evoluir como uma plataforma de comércio de classe mundial.

Panamá Pacifico é outra região econômica especial no Panamá que começou a operar em 2007 e está localizada onde a base da Força Aérea Americana Howard costumava estar. Assim como a Zona Franca de Colón, está localizada estrategicamente perto da Cidade do Panamá. Além de um parque comercial e industrial, a Panamá Pacifico também abriga uma série de comodidades comerciais e residenciais, e um grupo de agências estatais panamenhas para permitir fácil acesso às autoridades estatais por parte das empresas que procuram cumprir com sua carga regulatória. A Panamá Pacifico abrange uma enorme área de 2.500 hectares. 

As empresas que estão localizadas dentro da área do Pacífico panamenho estão isentas de todos os impostos normalmente aplicados pelo governo panamenho, desde que suas atividades se enquadrem nas seguintes categorias, de acordo com um estudo de Harvard: 

  • Operações de back office
  • Serviços logísticos
  • Call Centers
  • Produtos de alta tecnologia e fabricação de processos
  • Serviços Offshore
  • Transmissão digital e de dados
  • Sede Multinacional
  • Indústria cinematográfica
  • Manutenção, reparo e revisão de aviões
  • Aviação e serviços relacionados ao aeroporto
  • Transferência de mercadorias e serviços para navios e seus passageiros e centros de distribuição 

Hoje o Panamá Pacifico é uma das zonas econômicas especiais de maior sucesso do mundo, tendo criado mais de dez mil empregos lucrativos e atraído uma quantidade substancial de investimento estrangeiro. Há também benefícios substanciais de "spillover" para a economia panamenha por ter as zonas econômicas especiais em funcionamento, pois os empresários atraídos pelo programa criam negócios em todo o restante do Panamá, criando empregos e prosperidade.

 

cidade do Panama - Ambas as regiões desempenham papéis complementares, criando um ambiente propício para o comércio internacional. Seja para negócios, transporte ou turismo, Panamá Pacífico e a Zona Franca de Colón destacam-se como pilares essenciais no panorama comercial do Panamá.

Cidade do Panamá

VISÃO GERAL

Tanto o Panamá Pacífico quanto a Zona Franca de Comércio de Colón têm sido um tremendo sucesso na atração de investimentos estrangeiros e na criação de empregos altamente remunerados para os trabalhadores panamenhos. A própria Zona Franca de Comércio de Colón representa cerca de 4% do PIB panamenho, e o Panamá Pacifico conseguiu atrair algumas grandes empresas multinacionais como a 3M e a Caterpillar. 

O Panamá tem historicamente atraído mais investimentos estrangeiros do que outras nações da América Central, rivalizando apenas com a Costa Rica, devido ao rápido crescimento da economia, à estabilidade política geral e às políticas pró-negócios seguidas pelos sucessivos governos panamenhos. Embora as zonas econômicas especiais representem apenas uma fração desse investimento, elas têm desempenhado seu papel. 

Quando você olha para o tremendo sucesso econômico do Panamá nos últimos 20 anos, com a renda per capita triplicando e apresentando um crescimento muito forte do PIB, certamente eles devem estar fazendo algo certo. Enquanto as zonas econômicas especiais são apenas uma parte de uma estratégia mais ampla, a estratégia do governo panamenho de atrair empresas multinacionais estrangeiras para se realocarem e incentivar o investimento estrangeiro através de benefícios fiscais e incentivos comerciais parece estar funcionando.

Além de atrair negócios e investimentos estrangeiros, o Panamá Pacifico em particular tem atraído tanto investidores estrangeiros quanto trabalhadores estrangeiros qualificados. Este aumento de expatriados associados à zona, impulsionado por políticas favoráveis de imigração e trabalho, será um trunfo adicional a longo prazo para a economia panamenha.

Ambas as regiões desempenham papéis complementares, criando um ambiente propício para o comércio internacional. Seja para negócios, transporte ou turismo, Panamá Pacífico e a Zona Franca de Colón destacam-se como pilares essenciais no panorama comercial do Panamá.

 

Relatório de Proteção Offshore


TRABALHE COMIGO

Ajudo meus clientes a se mudarem para o exterior em busca de liberdade, privacidade e autonomia, focando nas questões de imigração, legalidade e impostos que você enfrentará ao se tornar um expatriado. Se você deseja trabalhar individualmente comigo para sair do seu país de origem (ou estabelecer um local de Plano B), então leia esta importante carta e preencha um formulário de inscrição para se tornar um Cliente Privado. Meus honorários não são baratos; no entanto, posso garantir que, quando você trabalha com uma empresa profissional como a nossa, os resultados valerão a pena.

 

MELHORES DO MUNDO EXPATRIADO

Se você deseja obter as melhores informações do mundo expatriado, incluindo oportunidades lucrativas no exterior, estratégias pouco conhecidas para economizar impostos e insights valiosos sobre imigração, passaportes e residências de Plano B, tudo entregue em sua caixa de entrada todas as semanas, então junte-se à nossa correspondência diária, EMS Pulse. Atualmente apreciada por mais de 37.000 expatriados e futuros expatriados em todo o mundo. Preencha o formulário abaixo para se inscrever em nosso boletim informativo gratuito:

 

Mikkel Thorup

Written by Mikkel Thorup

Mikkel Thorup é o consultor expatriado mais procurado do mundo. Ele concentra-se em ajudar clientes privados de alta rede a mitigar legalmente as obrigações fiscais, obter uma segunda residência e cidadania, e reunir uma carteira de investimentos estrangeiros, incluindo bens imobiliários internacionais, plantações de madeira, terrenos agrícolas e outros ativos corpóreos de dinheiro vivo. Mikkel é o Fundador e CEO da Expat Money®, uma empresa privada de consultoria iniciada em 2017. Ele acolhe o popular podcast semanal, o Expat Money Show, e escreveu o #1 Best Seller Expat Secrets - How To Pay Zero Taxes, Live Overseas And Make Giant Piles Of Money.

Recent Posts

Últimas Notícias: Autoridades Fiscais Do Canadá Prestam Homenagem A Satanás Com Imposto De 66,6%

Últimas Notícias: Autoridades Fiscais Do Canadá Prestam Homenagem A Satanás Com Imposto De 66,6%

Trudeau fez isso de novo. Sob o disfarce de "taxar os ricos" e "pagar sua parcela justa", o governo canadense aprovou o orçamento de 2024, que...

Continue Reading
Colômbia De Portas Abertas: Explorando Oportunidades Imobiliárias Para Expatriados

Colômbia De Portas Abertas: Explorando Oportunidades Imobiliárias Para Expatriados

A Colômbia possui uma cultura vibrante. Cidades como Bogotá, Medellín e Cali oferecem narrativas distintas de história, inovação e renascimento,...

Continue Reading
Explorando o Paraguai: Os Melhores Pontos De Acesso Para Expatriados

Explorando o Paraguai: Os Melhores Pontos De Acesso Para Expatriados

O Paraguai é um país incrível na América do Sul que se tornou um dos meus principais países para fins de investimento, com inúmeras ofertas...

Continue Reading