Featured Image

4 minutos de leitura

Benefícios De Obter A Cidadania Na Comunidade Andina

A maioria das pessoas já ouviu falar do Mercado Común del Sur, mais conhecido como Mercosul, mas você pode se surpreender ao saber que não foi o primeiro pacto regional na América do Sul. Na verdade, foi pré-datada pela Comunidade Andina por mais de duas décadas. Embora de alcance menor que o Mercosul, composto por quatro países (Bolívia, Colômbia, Equador e Peru), ambos os acordos foram fundados em princípios semelhantes, a saber, integração regional, promoção do livre comércio e harmonização de regras e procedimentos entre os Estados membros.


No entanto, a Comunidade Andina (CAN) deu o primeiro passo no estabelecimento de políticas de liberdade de movimento. A partir de 2005, os cidadãos da Comunidade Andina puderam viajar livremente entre os quatro países com apenas sua carteira de identidade nacional. Isso seria substituído pelo acordo de residência do Mercosul em 2010, que acrescentou outros direitos, como obter residência e trabalhar em qualquer país do bloco. Embora os países da Comunidade Andina sejam membros do Mercosul, existem algumas diferenças entre os dois. Abordaremos principalmente as regras relativas às políticas de imigração e como elas são aplicadas.

Se você estiver interessado em ler sobre os benefícios da cidadania do Mercosul, por favor, leia este artigo.

 

Símbolo da bandeira da Comunidade Andina

Símbolo da bandeira da Comunidade Andina

BENEFÍCIOS DA CIDADANIA COMUNITÁRIA ANDINA

Os cidadãos da Comunidade Andina têm os seguintes direitos:

  • Liberdade de circulação entre os Estados membros
  • Eles podem entrar como turistas com sua carteira de identidade nacional ou cédula
  • Estabelecer residência e procurar emprego
  • Igualdade de tratamento sob as leis nacionais

Em suma, os cidadãos da Comunidade Andina podem circular livremente entre os quatro estados membros com apenas sua carteira de identidade nacional ou cédula e permanecer por até 90 dias como turista, com a opção de estender até um total de 180 dias em um ano civil. Além disso, os cidadãos da Comunidade Andina e do Mercosul podem obter uma autorização de residência temporária de dois anos e solicitar a residência permanente após 21 meses. Tornar-se um residente significa que você tem o direito de trabalhar e ter acesso aos benefícios do governo.

Enquanto os cidadãos norte-americanos e europeus geralmente não migram para a América do Sul em busca de emprego, tornar-se cidadão da Comunidade Andina tem algumas vantagens. Você pode se locomover apenas com sua carteira de identidade nacional, algo que agrada aos nômades digitais e àqueles que apreciam a liberdade de se deslocar de um país para outro.Por exemplo, você pode ficar no Equador por seis meses, cruzar a fronteira para a Bolívia, Colômbia, ou Peru, e permanecer por mais seis meses. Vale ressaltar que isso pode gerar economias fiscais potenciais, especialmente na Bolívia e no Equador, onde a renda de origem estrangeira não é tributada.

O acordo de residência da Comunidade Andina entrou em vigor recentemente em agosto de 2021, mas os países vêm trabalhando para uma maior integração e cooperação em outras áreas. A partir deste ano, eles eliminaram as taxas de roaming, o que significa que você pode usar seu plano doméstico (pós-pago) como faria em seu país de origem ao viajar pela Comunidade Andina. Outras áreas de cooperação incluem o estabelecimento de regras comuns para procedimentos de imigração, como cruzar fronteiras nacionais em seu veículo.

 

Para tudo o que você precisa saber sobre residências, segundo passaporte e proteção de patrimônio, leia este artigo incrível: O Básico De Como Obter Um Segundo Passaporte Ou Uma Segunda Residência.

 

Países membros da Comunidade Andina e sua bandeira

Países membros da Comunidade Andina e sua bandeira

REQUISITOS PARA ESTABELECER RESIDÊNCIA NA COMUNIDADE ANDINA

Os cidadãos da Comunidade Andina podem obter uma autorização de residência de dois anos em outros países e, embora as informações abaixo se apliquem à Colômbia, o procedimento é o mesmo para todos os países:

  • Passaporte com pelo menos seis meses de validade
  • Uma verificação de antecedentes criminais do seu país de origem ou país de residência nos últimos cinco anos
  • Uma declaração por escrito explicando seus motivos para buscar residência e meios de se sustentar (comprovante de renda, contrato de trabalho, pensão)
  • Pague a taxa de inscrição relevante

Após 21 meses, você pode solicitar a residência permanente, mas deve repetir as etapas mencionadas acima. Tornar-se um residente permanente também abre as portas para a cidadania, caso você esteja interessado em buscar essa opção.

 

Você sempre pode entrar em contato conosco para ajudá-lo a obter uma segunda residência ou cidadania.

 

América do Sul no mapa

América do Sul no mapa

QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE O MERCOSUL E A CIDADANIA DA COMUNIDADE ANDINA?

Você provavelmente se pergunta como eles diferem se estiver familiarizado com o acordo de residência do Mercosul. Em termos de mobilidade e obtenção de residência, são os mesmos. Você pode viajar entre países com sua carteira de identidade nacional e permanecer até 90 dias. Da mesma forma, você tem os mesmos direitos, como obter residência, procurar emprego e igualdade de tratamento de acordo com as leis nacionais. 

Com isso dito, existem algumas diferenças entre os dois blocos. O Mercosul é maior e inclui a maioria dos países sul-americanos, exceto Guiana, Suriname e Venezuela (eles foram suspensos em 2016). Além disso, algumas regras e procedimentos no Mercosul são passíveis de interpretação e aplicados de forma diferente dependendo do país, principalmente a definição de cidadão. 

Argentina é um bom exemplo disso, pois a elegibilidade depende do seu país de nascimento ou naturalização. Enquanto qualquer pessoa nascida em um país do Mercosul pode solicitar a residência, o benefício só é estendido aos cidadãos naturalizados da Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai, e somente após cinco anos da data da naturalização. Por outro lado, Colômbia e Equador não fazem distinção entre cidadãos nativos ou naturalizados

Em contraste, a legislação aprovada pela Comunidade Andina é obrigatória e deve ser aplicada uniformemente por todos os países. Quanto a quem é considerado cidadão, refere-se à definição na constituição nacional de cada país, e uma olhada no Equador define um cidadão como aquele por nascimento ou naturalização.

 

COMUNIDADE ANDINA OU MERCOSUL, O QUE É MELHOR PARA MIM?

Afinal, os países da Comunidade Andina são membros do Mercosul. Se seu motivo para obter a cidadania foi poder viajar pela América do Sul, lembre-se de que isso levará pelo menos três anos e possivelmente outros cinco para elegibilidade no acordo do Mercosul.

Até o momento, não há período de espera para a Comunidade Andina. Depois de se tornar cidadão, você pode circular livremente entre Bolívia, Colômbia, Equador e Peru. Você precisará de um passaporte para estabelecer residência em qualquer país da Comunidade Andina ou Mercosul. As regras podem mudar no futuro, mas a Comunidade Andina vem trabalhando para uma maior integração. A obtenção da cidadania no Mercosul ou na Comunidade Andina traz benefícios, mas isso dependerá principalmente de seus objetivos de longo prazo.

 

trabalhe comigo

Ajudo meus clientes a se mudarem para o exterior em busca de liberdade, privacidade e autonomia, concentrando-se em questões de imigração, legais e fiscais que você enfrentará ao se tornar um expatriado. Se você gostaria de trabalhar pessoalmente comigo para sair do Canadá ou dos EUA (ou configurar um local do Plano B), leia esta importante carta e preencha um formulário de inscrição para se tornar um cliente particular. Meus honorários não são baratos, no entanto, posso garantir que quando você trabalha com um profissional, seus riscos podem ser reduzidos consideravelmente.

Mikkel Thorup

Written by Mikkel Thorup

Mikkel Thorup é o consultor expatriado mais procurado do mundo. Ele concentra-se em ajudar clientes privados de alta rede a mitigar legalmente as obrigações fiscais, obter uma segunda residência e cidadania, e reunir uma carteira de investimentos estrangeiros, incluindo bens imobiliários internacionais, plantações de madeira, terrenos agrícolas e outros ativos corpóreos de dinheiro vivo. Mikkel é o Fundador e CEO da Expat Money™, uma empresa privada de consultoria iniciada em 2017. Ele acolhe o popular podcast semanal, o Expat Money Show, e escreveu o #1 Best Seller Expat Secrets - How To Pay Zero Taxes, Live Overseas And Make Giant Piles Of Money.

Recent Posts

Cidadania Da Irlanda Por Descendência

A Irlanda é um dos países membros da União Europeia. Como resultado, tornar-se um cidadão irlandês concede a você direitos específicos como um...

Leia Mais

Morando Na Noruega Com Seu Visto De Nômade Digital

Muitas pessoas sonham em viver nos países escandinavos devido ao estilo de vida tranquilo, custo de vida aceitável e atrações naturais deslumbrantes....

Leia Mais

O Próximo Visto De Nômade Digital Da Macedônia Do Norte

A Macedônia do Norte é um destino intrigante dos Bálcãs que muitos nômades digitais podem ignorar ao procurar vistos de nômade digital na Europa. A...

Leia Mais